8 de fevereiro de 2013

Transbordo


4 Comentários
Comentários

4 comentários:

E. SANCHES disse...

Pra se pensar essas coisas, tem que estar em um outro paralelo meu amigo e sei que há momentos assim que fazem com que a gente reflita muito mais sobre nós e nossos próximos.
Muito bom.

Vinícius Lemarc disse...

Olá, Edelzio!

São apenas alguns versos tortos que me ocorreram e eu coloquei em um papel. Mas é verdade o que você diz sobre esse estado paralelo, mas eu, às vezes, tenho a impressão que vivo nele mais tempo do que o natural.

Forte Abraço!

Marcela disse...

Saudades daqui... qto ao "estado paralelo" dou graças por viver nele, pois viver fora dele seria apenas sobreviver meu amigo!
Lindo poema! Liva o estado paralelo! Viva seus versos tortos...
Bjo

Vinícius Lemarc disse...

É, querida Marcela, acho que vivo mesmo um pouco assim, nesse estado paralelo de que o amigo Edelzio fala. E concordo plenamente com você, viver sem ele é apenas sobreviver e repetir maquinalmente as ações que normalmente estão “programadas” para a maioria das pessoas. Nele o mundo se inunda de sentidos. Isso mesmo: Viva o Estado Paralelo!!!

Abraço!

Vinícius Lemarc

Postar um comentário